domingo, 31 de outubro de 2010

Vontade de Não-Viver


Imagem por: ~CaptainBoneDaddy
Eu não quero mais viver!
Meu desejo agora é morrer
Deixe-me pegar aquele punhal
E me rasgar feito um animal

Quero em meu sangue afogar
Até nenhuma gota sobrar
Quebrar meus punhos na parede
Enforcar-me com os punhos da rede

Transformar meus ossos em pó
Antes morto do que só
Furar a cabeça com a mão
Até o cérebro cair no chão


Quem sabe depois de morto
Acabe esse meu viver absorto
Nos pensamentos infernais
Que transcendem as dores carnais

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Morte ao poeta


Imagem por: ~vladder


Em momentos de total incompreensão
É quando sinto o pulsar do coração
Mostrar que ainda estou presente
Vivo, apesar de mentalmente ausente

Todos esses sentimentos marcantes
Que envolvem minhas ilusões alucinantes
São representados por uma incógnita infalível
Que vive em meu peito irresistível

É nessas horas de dor e lamento
Que eu pereço ante ao sofrimento
Antes de chegar à loucura

Então compreendo ao fim do ato
Que minha opção ao dom nato
É morrer pela literatura

domingo, 24 de outubro de 2010

Cabo Eleitoral

Imagem por: ~rb-lopes

Se você bajula aqueles malditos
Corsários extremamente explícitos
Lembre-se de que eles te ignoram
Você é ralé para aqueles que te exploram

Eles não estão nem aí!

Saiba que você é tão desprezível
Quanto um ser invisível
Um idiota querendo ser intelectual
No meio de um grupo banal

Eles não estão nem aí!

Eles querem apenas seu voto
Cabo eleitoral ignoto
Na sombra de um candidato
Você é o voto mais barato


Por: Lima Júnior

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Delírios Poéticos


Imagem por: ~jump-button

Eu sou o oxigênio heteroátomo errante
No meio de uma massa de carbonos malditos
Vivendo como se fosse um deles
Perdido em meus sentimentos aflitos

Meus pensamentos correm como o elétron
Ao pular de camada em sua jornada natural
Sentindo a ânsia de escrever algo
Que conforme minha alma antissocial

Talvez com algumas doses de álcool
E noites malditas e poéticas
Ao som de músicas depressivas
Venham-me inspirações elétricas

Ao palpitar o coração perdido
Jovem preso a amores frustrados
Sentindo a força de um sentimento
Que o torna o líder dos derrotados

Expressão que outrora culminava
Em noites de ideias trocadas
Hoje tornam apenas confissões
De jovens de vidas trancadas

O que vale então ao gastar horas
Escrevendo algo sem valor
Quando posso então em outra forma
Expressar todo o meu rancor?

Chega! Não suporto minhas contradições
Pois enquanto escrevo meus sofrimentos
Acabo afirmando a conclusão
De que são inúteis pensamentos

Então eis o motivo de escrever:
É fugir de uma realidade
Que esmaga meus sonhos
Com altíssima intensidade!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Noites


Imagem por: ~mIKEmORPHINE

Em noites macabras
Eu apenas escrevo
Minhas emoções estampadas
Em alto relevo

Em noites vazias
De solidão avassaladora
Minha alma vira
Da tristeza pastora

Em noites melancólicas
Com sofrimento eterno
A dor aparece
Vestida de terno

Em noites tediosas
Aos prantos adormeço
Pensando em ti
Eu apenas padeço