quarta-feira, 3 de novembro de 2010

À sociedade, com carinho, que se foda


Imagem por: ~deadyet

Enfrente seus medos mortais
Que lhe rasgam feito animais
Corroem a sua mente surreal
Um medo antissocial

Você pode tentar se esconder
Mas seu medo vai lhe percorrer
Posso-me autoproclamar sociável
Mas meu ódio pela sociedade continuará estável

Por mais que ela tente me esganar
A sociedade não pode me matar
Por isso meu poema existe

Serve como meu escudo poético
Contra o opressor antiético
Como posso sorrir diante de uma sociedade triste?

por: Lima Júnior

Um comentário:

  1. Caramba, que massa! é impressão minha ou vejo alguns resquícios das aulas d sociologia ai? :)

    ResponderExcluir