quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Poema Curto, Amor Longo


Imagem por: ~Blissleep


Desenhe um coração com o meu sangue
Tão sujo quanto o lixo do mangue
De onde o caranguejo tira seu alimento
Do teu amor eu tiro o meu sustento

Sou o seu eterno vassalo
Meu dever é seu tédio matá-lo
Irei expulsar todas as suas dores
Estou às suas ordens, ó suserana dos amores

Um comentário:

  1. Vou sonhando com a mulher
    Que talvez eu possa encontrar
    E ela também vai andar
    Na lama do meu quintal.
    Manguetown

    Andando por entre os becos,
    Andando em coletivos
    Ninguém foge ao cheiro sujo
    Da lama do manguetown!

    De Chico para vc meu véio! Uma homenagem aos caranquejos famintos de amor do seu poema!

    ResponderExcluir