quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Darwinismo Antissocial

Imagem por: ~manivo

No meu peito a angústia corrói
Ao ver meus irmãos ex-primatas
Lutando entre si - e como dói
Homo sapiens! Tens prazer enquanto matas?

Enquanto todos os outros animais
Tem a tendência natural de se ajudar
Nós, primatas que nos dizemos racionais
Temos o prazer nato em nos matar

Todos competem pela sua existência
O homem compete pelo prazer
E ainda explica na maldita ciência
Que é natural de todo homem fazer o outro sofrer

Quisera eu ter nascido um peixe ou pato
Melhor que nascer como um ser humano
Descumprindo a regra do homo sapiens nato
Vou tentando cada dia ser mais desumano

Por: Lima Júnior

domingo, 16 de outubro de 2011

Farpas de Sangue

Imagem por: ~KissMeAtApocalypse

Aquilo que anda roendo o meu coração
Não é o cupim que rói o meu armário
É um sentimento de total negação
Que faz sentir-me um otário

As farpas que caem do meu peito
Dissolvem-se em lágrimas de sangue
Sinto-me perdido, deitado em meu leito
É como afundar o meu braço no mangue

E eu tento em vão solucionar minha dor
Ouvindo algo que me fizesse refletir
Qualquer coisa que me fizesse sorrir

Seria pra mim um grande favor
Mas não vejo nada que me faça mudar
Só há sangue na mesa de jantar

Por: Lima Júnior

domingo, 9 de outubro de 2011

Soneto feito antes das duas da madrugada

Imagem por: *Nachan

O frio da madrugada me faz tremer os ossos,
Eu tento escrever algo para despertar meu sono,
Assim como o sorriso é o repelente do abandono
E a fruta protege seus caroços.

É noite! Faço companhia ao morcego,
Ao fantasma e aos vermes do porão.
Mesmo que eu leia o alcorão,
Continuarei me sentindo um cego.

Eis que a rima sai com tamanha facilidade
Assim como o filete de sangue que jorra ao me cortar.
Cada verso faz parte da numeração da minha identidade

Cada palavra é uma bala a me fuzilar
O que escrevo torna-se uma arma apontada para a minha testa
Pois a solidão e a poesia são convidadas de honra da minha festa

Por: Lima Júnior