domingo, 16 de outubro de 2011

Farpas de Sangue

Imagem por: ~KissMeAtApocalypse

Aquilo que anda roendo o meu coração
Não é o cupim que rói o meu armário
É um sentimento de total negação
Que faz sentir-me um otário

As farpas que caem do meu peito
Dissolvem-se em lágrimas de sangue
Sinto-me perdido, deitado em meu leito
É como afundar o meu braço no mangue

E eu tento em vão solucionar minha dor
Ouvindo algo que me fizesse refletir
Qualquer coisa que me fizesse sorrir

Seria pra mim um grande favor
Mas não vejo nada que me faça mudar
Só há sangue na mesa de jantar

Por: Lima Júnior

Um comentário:

  1. Consegui sentir o desespero do poema, sério. Adorei *---------* Aliás, assim como eu adoro tudo que vc escreve. :D

    ResponderExcluir