terça-feira, 29 de novembro de 2011

Malditas Memórias

Imagem por: ~nailass

A noite cai e junto vem à mente
Memórias que me doem no peito
Porque a tristeza do homem está em lembrar

Salve aquele que apaga suas memórias
Como quem apaga a caixa de e-mails!
Privando-se assim das dores emocionais
Que doem infinitamente mais que qualquer membro decepado
Ou outra qualquer dor física insana.

Pois as dores emocionais ficam nas lembranças
E doem do nascimento até a morte
Sem nenhum sedativo que não seja o fim da existência
Do homo sapiens dolorido.

Por: Lima Júnior

sábado, 19 de novembro de 2011

Balanceamento Poético

Imagem por: ~tonysandoval

A regra que balanceia a minha vida
É de dez pra um:
Dez dias de tristeza
Para cada dia de felicidade.
Vale a pena sofrer por dez dias
Para ter você ao meu lado por um?

Por: Lima Júnior

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Julgado Sem Sentido

Imagem por: ~sam4q2

Ouço o som que vem das trombetas do infinito
Trazendo a novidade que desce das montanhas
Tão altas que me tornam um mero granito
Deixando-me trêmulo até as entranhas

Eis que o som invade os meus ouvidos
Cada nota é uma frase vinda do Julgamento
Avisando-me que cada um dos meus sentidos
Será destruído pela ordem do Firmamento

Eu nego! Mas tenho poucas horas de existência!
O próximo a perecer será o ato da fala
Mas antes que eu possa pedir clemência
Sinto uma força que facilmente me cala

Foge, moribundo! Tu ainda tens três!
Mas antes que eu possa correr
Minhas pernas, como quando caem os Reis
Dos seus tronos, fazem-me descer

E eu desço aos confins do inferno
Com toda aquela visão assustadora
Do pavor e do caos eterno
Sou facilmente cego pela força de outrora

Eis que me sobra apenas o olfato
E, para o único que não merece,
É dado para mim o castigo nato
Para todo poeta que perece

Deixaram-me na tormenta
De sentir o último aroma
Aquele sabor de menta
Que minha amada usou em Roma

Por: Lima Júnior