segunda-feira, 19 de março de 2012

Morra antes que amanheça

Imagem por: ~Exrosky


Aranhas em meu quintal
Elas tecem teias da morte
Fabricadas com o meu sangue ainda quente
Fervilhando com as minhas emoções

Há flores do mal em meu jardim
Todas exalando seu aroma de desprezo
Me intoxicando da cabeça aos pés
Pronto para evaporar em sua consistência

Deito em minha cama repleta de pregos
Mil olhos preenchem o teto a me vigiar
O lençol não é capaz de esconder minha vergonha
Não há como dormir com a cabeça martelando

Tudo parece girar ao som dos meus gemidos
Me derreto em sangue, suor, sêmen e lágrimas
E na minha cama, resta apenas a marca do meu corpo
A última prova de minha existência

Por: Lima Júnior

Um comentário: