domingo, 1 de abril de 2012

O dia em que o feijão declarou seu amor pelo arroz

Imagem por: ~BabyBirdskt

O tempo parece andar mais depressa nos momentos de felicidade
Mas a vontade que tenho é de parar no tempo
E ficar assim, ao seu lado, até a eternidade.

Há tantas barreiras que nos impedem de ficarmos unidos,
Mesmo eu estando aqui, perto de você, é somente o físico,
Mas eu pretendo quebrá-las todas com os meus punhos feridos

Até que possamos estar juntos, além do material
Não como água e óleo, mas como feijão e arroz
Separados pelos corpos, mas juntos no essencial.

Por: Lima Júnior

Um comentário: