domingo, 29 de dezembro de 2013

O meu medo

Imagem por: Helen-Stifler

O meu medo
não é o câncer
a cirrose
a queda de cavalo
a cirurgia
da perna coxa
ou os efeitos
da heroína

O meu medo
é o que afligiu
Byron
Baudelaire
Álvares de Azevedo
Bukowski
Augusto dos Anjos
Hunter Thompson
o mais pobre camponês
o mais triste
dos proletariados
e até mesmo
o mais sacana dos burgueses

O meu medo
aflige a todos
até Deus
e afligiu Nietszche
como castigo divino
da ironia

o meu medo
atinge até mesmo ele próprio
em Saramago
na criatura
e no criador

o meu medo
é o medo
das páginas rasgadas
perdidas pelo tempo
com o fim da biblioteca
de Alexandria

o meu medo
foi a alegria
de Felix Faure
e a minha futura
tristeza
de um dia
não ter mais dia

Por: Lima Júnior

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

sunshine

Imagem por: FloresKruuse
O sol brilhou mais forte
no Açude Velho
e eu me perdi em teus olhos
por três dias

você me deu aquela cachaça de jambú
que eu confundi com a fruta
jambo
de teor alcoolico 38%
pensei em levar a garrafa para casa
mas perdi no caminho

te prometi mil poesias de amor
e acabei escrevendo apenas essa
que nem é lá uma poesia de amor
mais parece um relato da viagem
que eu fiz para te encontrar
e me desencontrar

Por: Lima Júnior

domingo, 24 de novembro de 2013

lábios soltos

Imagem por: intoyourheart

diga-me minha querida
que teus lábios estão a disposição
para este jovem que outrora
resolveu lacrar seu coração

convidaria-te para dançar
se eu ao menos soubesse um passo
nas canções da velha guitarra
mas meus pés são puro aço

portanto deixe apenas teus lábios
à solta pelo meu pescoço
sugue tudo que existir em mim
que seja amor até o caroço

Por: Lima Júnior

domingo, 10 de novembro de 2013

mapa da mina

Imagem por: visceral

fiz um mapa do teu corpo
sei onde estão todos os sinais
as cicatrizes
e as marcas dos meus beijos

por onde passo
catalogo suas vivências
seus desejos
sonhos
e realidades

sou o cartógrafo
e também o explorador
fiz teu mapa
para melhor te conhecer
e navegar pelos teus lábios
escalar teus seios
e me aventurar pelo teu sexo

Por: Lima Júnior

domingo, 3 de novembro de 2013

pés descobertos

Imagem por: resonanteye

não pude deixar de notar
teus pés
enquanto você experimentava sapatos novos
naquela tarde de domingo
enquanto eu me recuperava da ressaca

sabe
as pessoas escondem o que há de melhor nelas
o corpo
e os sentimentos
todos bem guardadinhos
em seus devidos lugares
e você deixou escapar seus pés
visíveis naquele rápido instante
que eu pude vê-los

pode parecer loucura
(coisa comum nos poetas)
mas me encantei com eles
e mesmo você dizendo que os acha feios
digo o contrário
pois sei que o mais belo está escondido
dentro do peito
e dos calçados

Por: Lima Júnior

domingo, 27 de outubro de 2013

lou reed morreu

capa do disco The Velvet Underground and Nico (1967)

inocência
perdida tão cedo

mãos pequenas
que podem retroceder o tempo
e retorcer o espaço
esganando
e enganando
a morte
que vos espera
pacientemente
pelos cantos mais sórdidos
e sombrios
do trajeto

quero tocar teus dedos
encontrar o que há por trás da capa
que nos leva aos bastidores
sentir as vibrações que não tive
enquanto vivo

ouço as batidas do meu coração
no ritmo das batidas em minha porta
e da bateria da música que estou ouvindo
no volume máximo
tudo
é o mesmo
som

arranho as paredes
ecoando as distorções da guitarra
a última sinfonia é tocada
o regente já pode deitar o corpo
e esperar
os aplausos da plateia
e as luzes acesas
indicando as saídas

do grande concerto


Por: Lima Júnior

domingo, 20 de outubro de 2013

geração neopet

Imagem por: TeaPartyGirl

escondidos
em seus laptops
eles não sabem
quantos cadáveres
estão nas ruas da Síria
eles curtem
e não compartilham
sequer comentam
a reflexão
do pão nosso de cada dia

a igreja era o ópio do povo
hoje não passa de refrigerante
temos drogas mais difundidas
virtualmente
que terminam com .com
muitos dirão que sou apocalítico
e não integrado
mas o que eu vejo é a realidade
de uma geração neopet
que vai pra rua reclamar
do preço do playstation 4
ao invés do passe livre

o que era pra ser um meio de comunicação
revolucionário
virou mais um
a diferença da televisão para a internet
é o arroba

Por: Lima Júnior

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

transversal



lembro-me do transversal
na tua orelha
que atravessou
meu coração

todas as noites
sonho com o teu transversal
meus lábios tão próximos
dele
que sentia o gosto do metal

porém
minhas chances contigo
são menores
que o teu transversal
e me contento em olhar
todos os dias
para ele
reluzindo
dentro de mim
uma paixão transversal

Por: Lima Júnior

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

duas cervejas

Imagem por: ~lioci

guardei duas cervejas
para você
nesta noite
de lua cheia

mas você não chegou
nem ligou
não me deu notícias
nunca mais
e hoje eu espero
pacientemente
com a cerveja ainda guardada
na geladeira

quem sabe você venha
antes de abril
que é quando a cerveja vencerá
quem sabe...

Por: Lima Júnior

terça-feira, 20 de agosto de 2013

na rede

Imagem por: Bruna Luyza

te chamei pra deitar
na minha rede novinha
você rejeitou meu pedido
preferiu ficar sozinha

e na curvatura da rede
eu lembrei do teu sorriso
o balançar me fez sonhar
com você no paraíso

Por: Lima Júnior

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Inferno Astral

Imagem por: ~Rebechan

Ao vivo
nas ruas da cidade
manifestantes
contra policiais

desligo a tv
te chamo pra deitar
e você me diz
não

saio
pra comprar um cigarro
começa a chover
aquela chuva fina
com cheiro de doença

volto pra casa
esqueço a chave
e fico preso
do lado de fora

é,
meu horóscopo estava certo
são dias de mazelice
eterna

Por: Lima Júnior

terça-feira, 30 de julho de 2013

infinite sadness

Imagem por: ~ThanatosofNicte

eu vivo
entre partidas
e tetos estranhos

sem saber
quando verei novamente
aquela pessoa
que me cativou

e dormindo
entre paredes
que me são estranhas
na angústia de não saber
o amanhã

acordo
lavo o rosto
faço a barba
e aquele rosto em frente ao espelho
não diz quem eu sou

viro as páginas
daquele livro chato
mudo os canais
tudo o mais do mesmo
escuto aquela música
que já não faz mais sentido para mim
bebo cana
já não fico mais bêbado

qual a saída disso tudo
se todas as portas
dão direto para o muro?

por: Lima Júnior

quinta-feira, 11 de julho de 2013

rosa da paixão

Imagem por: *Tyshea

Acordo com suas mensagens de amor
estampadas na tela do meu celular
Levanto da cama
com sorriso nos lábios
Vencendo a preguiça de caminhar

Você me disse
naquela manhã de domingo
Que as flores estão mais coloridas
Com os agrotoxicos não regulamentados
Mas em contrapartida,
as vidas são mais doloridas

Olho para o relógio
a cada cinco minutos
esperando o dia
de te ver novamente
cansado de não poder
tocar em seu rosto
entre o vai e vem do cotidiano
sigo a rotina
com você em minha mente

quase rasguei meus olhos
com a rosa da paixão
que te dei na semana passada
cego pelo amor que tenho por ti
escondi de você meu coração
machucado por antigas facadas

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Crônica de uma noite comum de uma cidade qualquer

Imagem por: ~datto-machavariani

 É noite, conto as estrelas no céu, sentado na varanda. O ato de olhar para as estrelas é uma das efemeridades de uma vida fadada ao caos e ao desacreditar da sociedade. O homem para ser humano necessita viver em sociedade. Do contrário, ele não passa de um homo sapiens. Dos vários moldes que não me encaixo, esse é mais um. Vivo na linha tênue entre a sociabilidade e a exclusão, andando por cima de uma corda bamba. Pra qual lado cairei?
 O vizinho fuma charuto e sua fumaça chega ao meu nariz. É um cheiro doce, viciante, tentador. Tenho vontade de bater na porta e pedir um trago. Contento-me com um copo d’água. Calço as chinelas, visto uma camisa e desço as escadas lentamente, devido ao escuro. A lâmpada está queimada. Faz um frio imenso, me arrependo de não ter calçado umas meias. Já é tarde, estou na rua.  
 Algumas nuvens se formam, ameaçando uma chuva em breve. Ignoro o aviso e sigo caminhando, com os pés trêmulos de frio. Passo por uma esquina e um brilho rápido e pequeno me chama a atenção. Quase paro, mas entendo que aquilo era o brilho de um isqueiro aceso. Um homem sentado na calçada de um restaurante fechado tenta acender um cachimbo. Crack. Atravesso a rua, olhando reto, sem desviar para o homem e jogo meu isqueiro para ele, saindo sem dar tempo para agradecimentos. Ando sempre com um isqueiro, mesmo que eu não fume, mas serve para conquistar sexualmente pessoas que fumam.
 A música da cidade é uma sinfonia de sirenes de ambulância e buzinas de carro, com leves toques de freada de pneus em certos momentos do concerto. Como um farol, o outdoor luminoso parece me guiar até o shopping. Posso vê-lo de uma longa distância. Ao me aproximar, sinto como fosse banhado pela luz do dia, porem de uma artificialidade peculiar. Sento na calçada, observando os carros passarem.
  Um senhor desce do ônibus, jogando primeiro suas bolsas para fora do veículo. Depois, desce com cuidado, auxiliado por um cabo de vassoura velho e gasto. O motorista, impaciente, fecha a porta, prendendo o cabo, enquanto o veículo começa a mover-se novamente. Com rapidez, o homem puxa o cabo a tempo, sem antes deixar de falar alguns palavrões para o motorista, que a esta altura já não poderia ouvi-los.

  Ratos correm pelos bueiros da cidade. Uma senhora de aparência frágil me pede esmolas e dou as poucas moedas que havia em meu bolso. Volto para casa, não suportando tanta sociedade em uma noite apenas. Subo as escadas e escuto o vizinho brigando com a mulher, pelo telefone. É, a noite será longa. 

segunda-feira, 1 de julho de 2013

mais do mesmo

Imagem por: ~CupcakeRemix

Primeiro dia
do mês de julho
e eu estou
bêbado
sozinho
deitado
sobre uma pilha de revistas
e embalagens de biscoito

Pensando na vida
e percebendo
o quanto é ruim
ser capricorniano

alguns buscam sentidos
cabalísticos
sobre o primeiro dia de um mês
a lua minguante
com o sol sobre a casa do caralho
mas eu só quero
o meu almoço

meus amigos dizem
que eu sou uma fraude
mas o que posso fazer
quando não sei mais
nem quem eu sou?

Todos os dias
são assim
sempre
o mais do mesmo

quarta-feira, 26 de junho de 2013

sumido

Imagem por: ~Skirill

Às vezes
você sente a necessidade
de sumir
e deixar que as pessoas
um dia
se perguntem
"cadê fulaninho?"
já foi
pra nunca mais voltar
ou então, quem sabe,
cinquenta anos depois
voltar
e deixar que perguntem
"onde você foi?"
e responder
serenamente:
"fui só comprar cigarros
na budega.
Sentiu minha falta?"

Por: Lima Júnior

quarta-feira, 12 de junho de 2013

meu dia dos namorados

Imagem por: ~coydna

Meu amor
é um copo de cerveja
um filme pornô
uma masturbação
antes de dormir

uma poesia mal feita
uma unha encravada
sangrando
sujando o piso branco
do meu quarto

no dia dos namorados
eu faço a barba
compro algumas cervejas
assisto um filme
bato uma punheta
e vou dormir
feliz

Por: Lima Júnior

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Quinze pras cinco

Imagem por: ~Skirill

Caem os últimos raios de sol
no fim de tarde
melancólico,
como sempre

Gotas que caem do chuveiro
já não sei mais se são
de chuva
de água encanada
ou de lágrimas

Alguém me pergunta
se estou triste
e eu respondo
poeticamente:

Não estou triste,
sou triste.

Por: Lima Júnior

terça-feira, 28 de maio de 2013

A minha última poesia de amor

Imagem por: ~moOnxinha

A minha última poesia de amor
Depois de tantas que já fiz
Obviamente, só pode rimar com dor
Pois este é o resultado infeliz

De agora em diante, apenas escreverei
Poesias que falem o que sinto realmente,
De tudo que fiz e de tudo que tentei,
De tudo que foi em vão somente

Na verdade, já não sei o que escrever
A partir de hoje não sou mais poeta
De agora em diante poesia apenas para ler

Escrever poesia não é mais minha meta
Vou em busca de algo que me orienta
Pois a poesia de amor não me representa

Por: Lima Júnior

terça-feira, 14 de maio de 2013

Não faço mais poesias de amor

Imagem por: ~iris00001

Não faço mais poesias de amor
Não tenho com que me inspirar
Se reclamas dos meus poemas de dor
Ainda preciso o por quê explicar?

Se me pedes para ser tua paixão
Eu apenas digo que não
Com medo da doce ilusão
De cair na futura solidão

Sentado naquela cadeira
Escrevendo alguma asneira
Vivendo sem eira nem beira

Sentindo a amargura no peito
A angústia de deitar no leito
E não ter na vida um bom jeito

Por: Lima Júnior

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Olhando as janelas dos prédios

Imagem por: ~scheid

Há muito tempo
atrás
andava
de mãos dadas
com alguém
que amava
e essa pessoa
me disse
enquanto olhava
para os prédios
"às vezes fico
me perguntando
o que as pessoas
fazem
sozinhas
em seus apartamentos"

desde então
fico pensando
o que as pessoas fazem
sozinhas
como elas acordam
como elas transam
como elas vão ao banheiro

será que o tal
cotidiano
é o mesmo
para todos?

domingo, 14 de abril de 2013

Me aceita

Imagem por: =OmarAziz

Ela me deixou
me partiu o coração
me excluiu do face
me deixou na mão

hoje estou sofrendo
e estou sozinho
preciso de você
e do seu carinho

me excluiu
me bloqueou
não me ligou
nem me retweetou

agora não sei mais
o que fazer
porque não deixo
de amar você

tentei de tudo
até pelo orkut
mas nem uma cutucada
no facebook

passo na sua porta
janela trancada
envio e-mail
mensagem bloqueada

passo minhas horas
tão solitário
não sei o que fazer
me sinto um otário

sonho com o dia
em que você me aceite
no meu facebook
para o meu deleite

Por: Lima Júnior

domingo, 10 de março de 2013

Suicídio Indireto

Imagem por: ~BloodRedThrone123

Os melhores momentos
dos meus amigos
eu não estive presente
ou simplesmente
minha presença
não é necessária

Eu olho para o mar
e ele olha para mim
e percebo que não posso
esconder o que realmente sou
mesmo tentando me enganar

mas agora estou há
quilômetros
de onde estava
eu troco de casa
mas não troco de angústia
na busca interminável
de saber
quem eu sou
o que devo fazer
e qual a minha importância
neste mundo

Eu já perdi as esperanças
há muito tempo
mas evito mostrar isso
pareço que ainda persisto
mas no fim
já estou morto
só faltam me enterrar

A única conclusão
que tenho
é de vou acabar me matando
mesmo que não seja
um suicídio direto

A culpa é minha
sempre minha

Por: Lima Júnior

sábado, 2 de março de 2013

pobre burguesia

Imagem por: ~Emihell
Fui ao teatro
assistir um concerto
e apesar de gratuito
só encontrei a burguesia
afinal,
isso não aparece
no jornal do meio-dia

e essa burguesia
é a que reclama dos pobres
mas deixa a porra do telefone ligado
no concerto
ou não joga o lixo onde devia

a educação não se investe
na bolsa de valores

Por: Lima Júnior

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Lábios alcoolizados

Imagem por: ~teleutte
O efeito do álcool estava cada vez mais intenso
dentro do meu corpo agora atormentado
minha visão já não era mais a mesma
apesar de usar óculos

e no meio de toda aquela iluminação
do bar
eu só conseguia me concentrar
em seus lábios
tão próximos do meu rosto
que me hipnotizavam de maneira
surpreendente

eu já não tinha forças
sequer para levantar o copo
tudo que eu poderia fazer naquele momento
era encostar meu rosto ao seu
e esperar você terminar a operação
com um longo e delicioso beijo

Por: Lima Júnior

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Beijei você atrás do trio elétrico

Imagem por: =andreamontano

Beijei você atrás do trio elétrico
Naquele domingo de Carnaval
Em meio ao bloco quilométrico
Achei você, meu par ideal

Segurei na sua mão ainda suada
De tanto pular naquele bloco
O beijo que dei na sua boca molhada
Outro desses pelo meu coração troco

Depois da festa vem a agonia
De ir embora sem saber o futuro
Se verei você algum outro dia

Se o meu amor estará maduro
Ou se ele morrer por baixo do pano
Só saberei no Carnaval do próximo ano

Por: Lima Júnior

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Poeteiro

Imagem por: ~frog-rex

Pego na palavra
E subo-a
Desço-a
Com tanta força
E voracidade
Até deixar sair
Poesia


Por: Lima Júnior

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Ao sorriso falso de cada dia

Imagem por: `IreneLangholm
Escondo no peito uma tristeza
Ofuscada pelo meu sorriso
Mas qual o sorriso que não há dentro de si
Uma tristeza escondida?

Tristes são teus lábios
Que me enganam quando me beijas
Com beijos tão molhados
Quanto a tua fria angústia

E eu sigo feito um defunto
Fingindo ser aquilo que não sou
Um sorriso que não é meu
Uma angústia que não é minha

Mas sua
De todos
E acaba sendo minha também
Porque somos todos homo sapiens angústia

E o que fazer?
O que fazer quando sei a verdade verdadeira
Que é o destino fatal de todo ser
Ser alimento do verme
(Inclusive o próprio verme)

O que fazer?
O que fazer...

Sorria, você está sendo.

Por: Lima Júnior

domingo, 27 de janeiro de 2013

Quantas curtidas essa poesia merece? (ou a hipocrisia do ano novo)

Imagem por: *NerySoul

Os cigarros estão acabando,
Já não há mais filmes pornôs para assistir,
Estou nos últimos dias de janeiro
E não vejo nada de feliz neste ano novo.

Eu não paguei a conta de luz
Eletricidade não é nada para mim,
Quando já não tenho mais energia de vida...

Ainda me sobrou uma garrafa de cachaça
Entre tantas teias de aranha.
Tomo um gole como se fosse o último,
Preparando-me para o meu velório
Pontualmente, ao meio-dia de amanhã.

Você irá comparecer?
Ou apenas ficará de luto na rede social?

Por: Lima Júnior

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Eu vi sua calcinha ontem à noite

Imagem por: ~pen-gwyn

Como todo bom garçom
Servi você com delicadeza
E trouxe gentilmente
Sua bebida até a mesa

Porém não pude desviar
E olhei para sua beleza
Você talvez tenha percebido
Que essa era a minha fraqueza

Pois quando eu voltei
Para te bem atender
Você subiu um pouco a saia
Consequentemente, pude ver

Sua coxa bem torneada
Exposta só para mim
Levou-me a loucura
Quase deixei-me, por fim

Atirar-me aos seus pés
E beijar aquela doce perna
Mas consegui me conter
Através de uma força interna

Na terceira vez que lhe servi
Você me chantageou novamente
Deixou o celular entre as pernas
Fingindo abobalhadamente

Como se o esquecera por lá
E com sua luz ligada
Eu pude notar com clareza
A sua calcinha bem colada

Aquilo pra mim foi crucial
Quase não pude me conter
Senti uma vontade imensa
De ali mesmo com você foder

Mas eu, como pobre escravo
Daquele trabalho assalariado
Me contive tão cabisbaixo
Que no dia seguinte, alucinado

Pedi minhas contas no emprego
Hoje eu estou desempregado
E vivo esperando você
Me chamar de seu namorado.

Por: Lima Júnior

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Abra suas pernas para mim

Imagem por: ~KO-Corral

Abra suas pernas para mim
Deixe-me explorar-te
Até os teus lindos confins
Sou teu marinheiro, quero navegar-te

Do teu sexo aos teus lábios
Quero catalogar cada centímetro
E teus segredos tão sábios
Dominar nas mãos feito um cetro

Rondar teu pescoço nu
Com vermelhões de minhas chupadas
Ficar nesse tu e eu, eu e tu
Até não sobrar nada das nossas gozadas

Deixar que me arranhe as costas
De uma maneira tão animal
Com as feridas grandes e expostas
Excitando-me até crescer o meu pau

Por fim, dar-te uma overdose de massagens
Pelos pés, braços e cotovelos
Fechar os olhos e imaginar imagens
Que me eriçam todos os pelos

Por: Lima Júnior